Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

sábado, 22 de setembro de 2007

UTENTES DOS HUC CONTRA ASFIXIA FINANCEIRA

Os Hospitais da Universidade de Coimbra são uma das mais importantes unidades de Saúde do País. As cerca de 1500 camas, o número de cirurgias, o número de doentes, fazem desta unidade a maior do país, com importância no Serviço Nacional de Saúde e impacto no âmbito regional e nacional.

Nos últimos anos temos assistido a um processo de paulatina asfixia financeira dos HUC. Só em 2006, não receberam cerca de 36 milhões de euros que estavam contratualizados com o Estado.Estes cortes põem em causa a qualidade de prestação de serviços, perspectivando-se a saída de profissionais e degradação das condições materiais.

Sem comentários: