Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

FALECEU"MAMA AFRIKA" GRANDE ACTIVISTA PELOS DIREITOS HUMANOS

Voz lendária do continente africano e um símbolo da luta contra o regime do apartheid, Miriam Makeba faleceu na madrugada de domingo vítima de uma paragem cardíaca depois da sua participação num concerto a favor do escritor Roberto Saviano, autor do livro "Gomorra" em Castel Volturno, ameaçado de morte pela máfia, na região de Nápoles (Sicília).
Reveja Makeba, na interpretação de Pata Pata,
aqui
ADENDA: Veja a homenagem de Rebelión, aqui

1 comentário:

SHIRANGANO disse...

O desaparecimento fisico da "Mamma Afrika" deixa um enorme burraco no coração dos verdadeiros apreciadores da musica africana.
Ah...mais uma vez ficamos orfãos!

Um abraço!