Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

terça-feira, 4 de novembro de 2008

A OBAMANIA INVADIU O MUNDO

A 'Obamania' invadiu o mundo e, a nível internacional, o candidato democrata Barack Obama parece ser o preferido para vencer as eleições para a presidência dos Estados Unidos, mas esta popularidade não implica que suas ideias sejam realmente conhecidas.
"Obama conta entre seus conselheiros financeiros com Austan Dean Golsbee, da Universidade de Chicago, conhecida por ter o programa neoliberal mais ortodoxo da terra. Na política externa, Joe Biden, "um dos partidários da invasão no Iraque em 2003.
Ninguém deve ter ilusões. Os Estados Unidos são essencialmente um sistema de partido único, que é um partido de negócios ( Julien Vaisse, pesquisador francês da Brookings Institution de Washington)


Mike Davis é historiador e activista politico. Nascido na Califórnia, Estados Unidos, dedica-se ao estudo do urbanismo, da ecologia e da história contemporânea. Não apenas sua obra, mas também sua trajetória de vida é marcada por experiências instigantes. Davis já foi camonista, talhante e militante estudantil. Atualmente é professor no Departamento de História da Universidade da Califórnia, em Irvine, e editor da New Left Review.
Ontem, dia 3 de Novembro, a
Agência Carta Maior publica mais um interessante trabalho deste historiador
"O grande desafio para as pequenas organizações da esquerda é o de serem capazes de antecipar essa decepção previsível das massas e de entender que nossa tarefa não consiste em achar a forma de “trazer Obama para a esquerda”, mas em buscar a maneira de resgatar e de reorganizar umas esperanças destroçadas. O programa de transição não pode ser outro senão o próprio socialismo".

Barack Obama não foi o único candidato afro-americano à presidência dos Estados Unidos. Mas o certo é que, por trás dos holofotes de republicanos e democratas, há todo um conjunto de candidatos de quem quase ninguém fala. A presidente da organização “Free and Equal Elections”, Christina Tobin, explica porque é tão complicada a vida dos pequenos partidos na política norte-americana
“Não há qualquer diferença entre o que os democratas e os republicanos estão dispostos a fazer para afastar os partidos pequenos e os independentes dos boletins de voto. As leis nos EUA são feitas pelos Republicanos e pelos Democratas e temos das leis mais restritivas que existem sobre esta matéria, por causa da dificuldade de acesso aos boletins de voto. Por exemplo, no Texas, são precisas mais de 75 mil assinaturas”, explica a activista
aqui . Sobre outros partidos, outros candidatos pode ler aqui e aqui
Poderá, ainda, recordar outra postagem aqui

2 comentários:

Mariz disse...

Salvé!
Grata pela visita e palavras deixadas. Logo mais, deixarei um comentáro como cumprimento.
quanto a este seu post, as pessoas que não se iludam! - porque debaixo de uma capa de codeiro, poderá existir um lobo que há 4 anos atrás ninguém sabia que se encontrava na selva chamada States!
A sabedoria ensinou-me que devo colocar o bom senso em acção...e como estamos nos finais dos tempos, acho que o caos se vai instalar de forma dramática e ainda catastrófica, e que este presidente eleito é o tal! O tal que irá abrir espaço, para uma nova Ordem Mundial - goerno único,moeda única, e por aí fora. Recordo que o que se ven lendo de cariz profético - e eu nem sequer sou fanática por profecias, no entanto acompanho alguns pensadores escritores e ainda o que vem escrito nos livros sagrados - sou ecuménica. todos dizem as mesmas coisas de forma diferente, mas todos incutem a que se ame o único Creador e ainda o próximo...é aí que a humaniddetem falado...então há que criar mitos e "eleitos"!
Portanto, estas eleições que tiveram honras de antena - mais do que se osse um acontecimento dos seus prórpos países, o que é de assinalar - não foram senão a forma de demonstrar que "aquele homem" servia não só os interesses da América mas igualmente de todo o mundo, acrescidos dos tais valores perdidos e que até hoje não mais a humanidade encontrou!
É assim que se contróiem os grandes ditadores, como se eles fossem os salvadores do mundo, bem á moda de hipnotizdores de almas....assimvai o mundo. Os registos que vêm a lume nesta época apontam para que a partir de Maio do próximo ano as coisas já estejam muito feias...e assim sucessivamente até 2012. Aguardemos pois!
Um resto de uma semana em Alta...cheia de PAZ

Sempre,
MAriz


ESPAVO! - como em MU

Mariz disse...

Passei para dizer que tem lá a resposta ao comentáro que amavelmente me deixou.
Noentano peço desculpa das gralhas, mas o meu cursor enquanto vou escrevendo de vez em quando salt e vai parar a meio duma palavra já escrita e se não dou por isso - como na maioria dos casos porque nunca revejo extos - a bagunça na escrita instaça-se. Á parte disso, também é costume, comer letras enquanto vou teclando...
mesmo assim espero que perceba o que ler de mim.

Até sempre
MAriz