Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

domingo, 17 de outubro de 2010

VOTAR CONTRA SERRA APROXIMA OS SECTORES MAIS PROGRESSISTAS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Justino de Sousa Junior e Antonio Julio de Menezes Neto    eições e a igreja no brasil
Votar contra Serra é o elo que esbate as divergências no seio dos sectores progressistas da sociedade brasileira: uma vitória da direita significaria um retrocesso para a democracia, e o toque de finados na construção de um país socialmente justo e soberano no quadro da politica internacional


José Serra, por sua campanha, pelo seu governo em São Paulo e pelos oito anos de governo FHC, tornou-se inimigo da classe trabalhadora e das nossas bandeiras de lutas. Pelo caráter anti-democrático e anti-popular dos partidos que compõem sua aliança e por sua personalidade autoritária, uma possível vitória sua significará um retrocesso para os movimentos sociais e populares em nosso país. (Brasil de Fato)


Nós, que no primeiro turno votamos em distintos candidatos e em diferentes partidos, nos unimos para apoiar Dilma Rousseff.
Fazemos isso por sentir que é nosso dever somar forças para garantir os avanços alcançados. Para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimento econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens e serviços da natureza, um país socialmente justo, que continue acelerando a inclusão social, que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional (manifesto de artistas e intelectuais pró Dilma: Leonardo Boff, Chico Buarque de Holanda, Oscar Niemeyer, Beth Carvalho, Marieta Severo ...

um triunfo da direita, os movimentos populares e a esquerda no seu conjunto, sem poupar ninguém, serão as principais vitimas de uma direita fortalecida. (Emir Sader)

Considerando essas diferenças no campo do capital e os cenários possíveis de desenvolvimento da luta de classes – mas com a firme decisão de nos mantermos na oposição a qualquer governo que saia deste segundo turno – o PCB orienta seus militantes e amigos ao voto contra Serra.

Finalizando, meu voto em Dilma é um voto contra a direita golpista e sua falta de valores éticos. É um voto a favor da liberdade de imprensa, sem golpismos, mentiras e baixarias. (Milu Duarte)

Precisamos derrotar a candidatura Serra, que representa as forças direitistas e fascistas do país. Devemos seguir organizando o povo para que lute por seus direitos e mudanças sociais, mantendo sempre nossa autonomia política frente aos governos. Conclamamos a militância de todos os movimentos sociais, os lutadores e lutadoras do povo brasileiro, para se engajarem nessa luta, que é importantíssima para a classe trabalhadora. MST (movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra)

IMAGEM DAQUI

1 comentário:

Pedro Ayres disse...

Caro amigo Agry
A luta aqui no Brasil está atingindo graus muito acima do inimaginável, tal o volume das infâmias,calúnias e mentiras desenvolvidas ela campanha do José Serra.
Palavras que estou bestificado, pois, como o conheci durante a sua curta gestão na UNE e sabia que jamais fora alguém brilhandte intelectualmente, mas nunca pensei que fosse tão imoralmente ambicioso, em que tudo vale para que ele chegue ao poder.
Entretanto, creio que a Dilma será vitoriosa.