Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

terça-feira, 18 de março de 2008

GUINÉ-BISSAU APROVA ESTATUTO DO CIDADÃO LUSÓFONO


O parlamento guineense acaba de aprovar o Estatuto de Cidadão Lusófono. A decisão é tida como um passo importante para a garantia de mais aproximação e cooperação entre cidadãos de países de língua oficial portuguesa.
O estatuto de cidadão lusófono garante direitos e princípios recíprocos entre cidadãos de países lusófonos.
A facilidade de circulação tem encontrado entretanto muitas barreiras, porque alguns países estão inseridos noutras regras comunitárias. O deputado António Samba Baldé acredita contudo que tais barreiras poderão ser ultrapassadas.
Se todos nós trabalharmos em conjunto, se levarmos o interesse da comunidade acima doutros interesses conseguiremos ultrapassar essas dificuldades”, preconizou.Leia aqui

1 comentário:

lapa disse...

http://palcopiniao.blogspot.com/search/label/C%C3%82MARA%20MUNICIPAL%20DE%20COIMBRA%20URBANISMO

DIVULGUE-SE ILEGALIDADES... OBRIGADO!