Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

terça-feira, 3 de junho de 2008

EM CONVERSA COM A AUTORA DO BLOG MILU


Em Novembro do ano passado publiquei umas entrevistas dirigidas a bloggers situados no mundo que fala português e comprometidos na divulgação da história, da cultura e das aspirações dos respectivos povos.
Ocorreu-me agora regressar ao tema mas, desta feita, solicitar entrevistas a bloggers, no feminino, e que integram a minha lista de elos.
Inicio esta série com Milu Duarte, brasileira, consultora económica, autora do
Blog da Milu e no qual, Sérgio Nogueira e Tio Sam., se apresentam como colaboradores. É um espaço muito interessante ou, como diz a autora: "é um planetinha muito especial: nele, só há lugar para a paz, o amor e as coisas boas da vida.E muita música! Meu planetinha é sonoro, com sotaque russo, um tanto místico e formado por prateleiras cheias de livros".
Discreta e elegante, nas palavras e nos actos, Milu, autora do Blog com o mesmo nome, construído à sua imagem , é um nome a reter. É com muito orgulho que inicio, esta série, com uma pequena entrevista que amavelmente me foi concedida por Milu Duarte

1 . Como interpreta a disseminação e o interesse crescentes pelo fenómeno blogue?
Tudo isto decorre, a meu ver, do anseio generalizado pela democratização da informação e do conhecimento, da cultura. Veja o caso da música, por exemplo: antes você tinha que baixar progaramas cheios de virus, tipo KazAA, o e-mule, e-donkey, etc. Os blogs facilitaram muito a vida da gente: basta acessar e pronto, você não tem que ficar em filas, esperando o usuário estar conectado para baixar sua música ou até mesmo seu filme - a coisa é muito mais simples. Isto sem dizer que, cada vez mais, os blogs estão se tornando uma verdadeira "salada de frutas", oferecendo de tudo, desde softwares a e-books. A atratividade deles aumenta dia a dia.

2. A presença do sexo forte (leia-se, das mulheres) também, aqui ,tem sabido afirmar-se e conquistar o seu espaço?
Acredito que sim, basta observar o número crescente de mulheres blogueiras. Eu mesma poderia citar diversas delas, que vêem mantendo blogs de altíssimo nível nos mais diferentes temas. Só não cito exemplos aqui para evitar a indelicadeza de citar alguns casos em detrimento de outros. Mas posso garantir que as mulheres estão aí, firmes e fortes, tanto em blogs literários chegando até aos de crítica política.

3. Quando navega na blogosfera fá-lo, à vista, ou prefere rumar para um destino já conhecido?
Adoro descobrir novos blogs, o que sempre me reserva boas surpresas. Claro que sempre visito aqueles que já conheço, conferindo as novidades, mas nada é comparável com as novas descobertas. Fantástico.

4. Quais as motivações que a conduziram à criação de um blog?
Antes eu navegava por redes do tipo Orkut e Multiply, mas face a tantos inconvenientes que estas redes apresentam, acabei fechando minha conta no Multiply e indo muito pouco, ou quase nunca ao orkut. Resolvi, então, criar um blog onde eu pudesse compartilhar tudo o que acho digno de ser compartilhado com maior liberdade: no blog, só de detém em determinado post quem dele se agradar. Já nas citadas redes a coisa é um pouco diferente, existe uma comunidade para MPB, outra para Jazz, outra para literatura russa, portuguesa, enfim, a coisa é muito segmentada e menos democrática.

5 . Qual a sua opinião sobre a blogosfera?
Acho fantástica, pois nela encontro de quase tudo que gosto. Claro que, como tudo na Internet, você tem que ficar esperto para não cair em armadilhas. Tenho dado muita sorte, é muito raro acessar algum blog com maiores problemas.

6. Os blogues poderão substituir a imprensa online?
Acho que não, pois - se entendi bem sua pergunta - a imprensa on line é feita por profissionais, ao passo que o blog, grande parte das vezes, são feitos por amadores, por amantes de determinados assuntos, sem que tenham um conhecimento mais aprofundado. Cito meu próprio caso: adoro música, mas não me arvoro em profunda conhecedora de música. Meus conhecimentos são os de uma pessoa que sente prazer em ouvir música. O mesmo ocorre com literatura: amo ler, mas estou longe de ser uma analista literária. Logo, acredito que os blogs continuem se desenvolvendo ao lado da imprensa online, sem jamais ocupar o seu lugar.

7. Em que medida os blogues intervêm na sua vida pessoal e profissional?
Na minha vida pessoal - muito, pois além de me "roubar" tempo livre para ficar com a família, eu utilizo os blogs para tudo: achar receitas culinárias, baixar músicas, exercícios de vestibular para minha filha, que está se preparando para a Universidade, enfim, acesso os blogs para quase tudo o que a família precisa da Internet.
Na minha vida profissional, muito pouco. Sinceramente, ainda não achei (por não ter procurado, talvez), blogs ligados à minha área de atuação.

8. O que é para si, um bom blog?
Primeiro requisito é ser de fácil pesquisa, ter o que procuro e, sobretudo, que o seu dono (a)dê atenção aos pedidos dos leitores. Note que o que pode ser bom para mim, não será, necessariamente, bom para outros.

9. A sua participação na blogosfera tem sido gratificante?
Muito interessante: tenho tido contatos com pessoas inteligentes, que me proporcionam novos conhecimentos, o que valorizo muito, bem como tenho encontrado coisas que jamais esperaria encontrar se não fosse a blogosfera.

10. Livremente, responda, por favor, àquela pergunta que eu deveria ter feito
Se existe problemas de pessoas inconvenientes acessando o blog. Graças a Deus, até hoje, apenas raramente isto aconteceu: são pessoas impacientes, que ao mínimo erro ou falha nossa, escrevem ofensas. Mas acho que estou dando muita sorte, pois às vezes costumo errar e muito (como, por exemplo, esquecendo de colocar as senhas para descompactar os discos) e tenho tido compreensão da maioria dos leitores. Eventualmente um ou outro me escreve com maior agressividade, o que não chega a me incomodar.

2 comentários:

CULTURA LIVRE NA WEB disse...

oI,meu amigo
Tive que restringir o acesso ao blog da milu: estou louca para te enviar um convite para voce ter acesso a ele, mas para isto preciso de seu email.Por favor, envie seu endereço eletronico para mim.Ah, abri, também, um blog novo, o cultura livre na web.
Saudades,
Milu

AGRY disse...

Olá Milu
Já fiz uma visita, muito rápida pelo blogue. Também lhe enviei já o endereço.
Fiquei muito feliz por ter reaparecido. Estava ficando preocupado
Abraço