Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

OS MAIS RICOS DE PORTUGAL VALEM 32 BILHÕES DE EUROS


"Por trás de uma grande fortuna está um grande crime".
Honoré de Balzac

Os detentores de fortunas em Portugal controlam 32 bilhões de euros segundo ranking da revista Exame, o que equivale a afirmar que a fortuna dos 100 mais ricos representa 19,68% do Produto Interno Bruto português. REPITO: A FORTUNA DE 100 EQUIVALE A 20% DO PIB, num país profundamente assimétrico que, no conjunto dos países da UE, detém, entre outros, dois recordes: a maior concentração de riqueza e a maior taxa de pobreza.
Dominados por uma verdadeira economia de casino, aumenta o fosso entre ricos e pobres, cresce o trabalho precário e ergue-se a bandeira da flexibilização.
Entretanto, este governo e o seu primeiro ministro reclamam-se de esquerda. Haja decência, haja decoro

1 comentário:

Pedro Ayres disse...

Agry

Pena que o hábito da sicuta tenha se perdido no tempo e que a "sicuta" política quase nenhum efeito tenha nas sociedades mediáticas, como é a União Européia de hoje.