Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A FOME NO MUNDO


A fome progrediu no mundo em razão da crise provocada pela escalada dos preços dos gêneros alimentícios em 2007-2008 e atinge hoje 923 milhões de pessoas, segundo estimativas da FAO, a agência da ONU para a Alimentação e a Agricultura.
- Hoje, 89% das pessoas que sofrem com a fome, 750 milhões, vivem em países da Ásia e da África. Em quinze países africanos, a fome afecta mais de 35% da população.
- Vinte e dois países são "particularmente vulneráveis" ao aumento dos preços em razão de altos níveis de desnutrição crônica (mais de 30 %), de uma forte dependência das importações de produtos derivados do petróleo (100 % na maior parte dos casos) e das importações de cereais.
Trata-se de Eritréia, Níger, Comores, Botsuana, Haiti, Libéria, Burundi, Tadjiquistão, Serra Leoa, Zimbábue, Etiópia, Zâmbia, República Centro-Africana, Moçambique, Tanzânia, Guiné-Bissau, Madagascar, Malaui, Camboja, Coréia do Norte, Ruanda e Quênia.
Um terço dos 75 milhões de pessoas afectadas pela subnutrição, vive na África sub-saariana .

1 comentário:

Bárbara disse...

África é o coração do mundo! No entanto, esse coração está sempre a ser esfaqueado pelo egocêntrismo, egoismo e cinismo do Norte do mundo.

Qual será o dia em que olharemos para África - e acima de tudo para os AFRICANOS - com os olhos arregalados de orgulho! Não com o olhar cínico do capitalista.

Haja blogs como este que chamem a atenção do mundo para esta realidade. Parabéns navegador!