Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

INTERMITÊNCIA NAS POSTAGENS


O desejo de encontrar consolo na metafísica tem produzido, devemos todos admitir, muitos argumentos falazes e muita desonestidade intelectual
Esta brilhante síntese vocabular, da autoria de Bertrand Russell, pode muito bem ser o pretexto para informar os meus visitantes da minha impossibilidade de produzir textos (ou postagens), com a mesma regularidade
A intermitência dos textos será, por um período indeterminado, uma realidade com a qual tenho que aprender a conviver.

3 comentários:

mariam disse...

Olá!
encaro esta experiência no "mundo da blogosfera" não como uma obrigação, isso nunca, tão somente como uma mais-valia para cada autor, seja ela em forma de "desabafo", "alerta" "arte" "luta" e ele também os há, de "nada"... É claro que se ele(a) sentir que o que coloca em cada post agrada de alguma maneira a terceiros, a sensação será de bem-estar e conforto...

obrigada p'la visita
e,
volte sempre

bom fim-de-semana
e melhor semana

um sorriso :)

mariam

ah! foi através da Paula Crespo :)

X!mb!t@nE disse...

Se a intermitência é por uma boa causa, antecipadamente está perdoado. Mas não nos deixes navegar a deriva...

Sucessos na nova empreitada

Paula Crespo disse...

Acontece aos melhores ;)
Isto deve ser encarado como uma actividade que nos dá prazer e não como uma tortura...
Bjs e até breve.