Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A OBSCENIDADE DESTE NOBEL

Se um criminoso como Henry Kissinger ganhou o Prémio Nobel da Paz, por que não atribuí-lo a Barack Obama?
A primeira reacção do Irão, que se opõe às potências ocidentais sobre seu programa nuclear, foi imediata. "Esperamos que isso o motive a adoptar o caminho que garantirá justiça no mundo", declarou um conselheiro do presidente Mahmud Ahmadinejad.
Algumas pessoas como o polaco Lech Walesa, ele mesmo premiado em 1983, consideraram este prémio prematuro, por falta de uma atitude concreta do presidente americano.
"Diversas vezes tentamos dar o prêmio para encorajar o que inúmeras personalidades tentam fazer", respondeu Jagland, citando o chanceler do oeste da Alemanha Willy Brandt (1971) por sua Ostpolitik ou o dirigente soviético Mikhail Gorbatchev (1990) antes do fim da guerra fria. Confira
aqui aqui aqui aqui e aqui

3 comentários:

Dan disse...

Oi Agry,

Esse Seu Jagland está totalmente equivocado o que torna o Nobel da Paz obceno, pois o Nobel é um prêmio dado por realizações e não um prêmio de incentiivo. Se querem puxar o saco dos EUA, podiam inventar um Nobel de revelação do ano ou outra coisa assim. O proprio prêmio trata de se desrespeitar.
Tristeza pois muitas gentes em várias partes do mundo merecem ter seus trabalhos mencionados e premiados, e ficam na clandestinidade, pois o Seu Jagland e seus comparsas preferem fazer política.

Abraços

Adriano disse...

Olá Agry, gostei do seu blog, parabéns! Sobre o prêmio a Obama, ganhou pelo belo discurso da posse no governo (coisa que Lula também faz muito bem no Brasil...).

Mas acredite, em Angola, Moçambique, e em toda a África, por exemplo, existem dezenas de ilustres desconhecidos que batalham incessantemente pela paz e a justiça social, com sabedoria e poesia, infinitamente mais merecedores desse prêmio que o simpático Barak. Só falta apresentá-los aos lordes noruegueses que elegem o premiado, ou torcer que eles leiam os tablóides e blogs em outros idiomas para saber de quem se tratam os outros potenciais ganhadores... e quem sabe premiá-los um dia.

Forte abraço!
Adriano
http://nanoberger.blogspot.com

Ximbitane disse...

Também fiquei desapontada com este Nobel! Nao que ele nao mereça, mas ha muitos que o merecem mais do que ele