Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

MANIFESTAÇÃO DE POLICIAS


Tem lugar hoje em Lisboa, uma manifestação de policias numa acção de protesto contra a falta de condições de trabalho.Uma manifestação marcada estrategicamente para um dia que, também em Lisboa, se reúnem os ministros da Administração Interna da União Europeia. A democratização do AE, ou aparelho repressivo do Estado é contra-natura. Por seu turno, nos chamados Aparelhos Ideológicos constata-se que eles não são puramente repressivos ou puramente ideológicos. Numa linguagem mais chã: imaginar policias que são o rosto mais visível do aparelho repressivo numa luta pelos seus direitos como prestadores de serviços a uma entidade que nos reprime a todos, roça a fronteira do absurdo. Não se trata de reconhecer ou não legitimidade nesta acção. Por enquanto limito-me a mencionar factos. Brevemente voltarei a este tema
Leia aqui e veja as imagens aqui

1 comentário:

omar disse...

Eu me pergunto, quem tem o direito de fazer manifestações portando armas de fogo ? Infelizmente o que estamos assistindo é guerra civil, sem controle. O custo operacional da PM mais o gasto de combustivel e munição gastos pela policia civil tem que ser descontado do salario dos policiais civis; pois quem não esta contente com salario procure outro emprego.