Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

segunda-feira, 14 de abril de 2008

AS CARPIDEIRAS DA FALÊNCIA DO SOCIALISMO


Uma parcela da esquerda sente-se vexada porque não é tão ética quanto propaga; outra, porque o socialismo faliu, excepto em Cuba. Na Coreia do Norte predomina um regime totalitário e, na China, o capitalismo de Estado.
As carpideiras da falência do socialismo não se perguntam por suas causas nem denunciam o fracasso do capitalismo para os 2/3 da humanidade que, segundo a ONU, vivem abaixo da linha da pobreza. Assim, abraçam o neoliberalismo imaculado. E o adornam com o eufemismo de "democracia", embora ele acentue a desigualdade mundial e negue valores e direitos humanos cultivando a idolatria do dinheiro e das armas.
Frei Beto (Teólogo e Escritor brasileiro)

3 comentários:

Cleverton Aires disse...

Muito legal seu blog!
:)

AGRY disse...

A intenção é essa.Obrigado

UMA ET?????? disse...

Ei, Agry, saudades de voce, vc sumiu do meu blog.
Adorei este post: o Frei beto é um intelectual super consciente. Obrigada por postar algo dele.
Beijos