Nós, da CONCP, queremos que nos nossos países martirizados durante séculos, humilhados, insultados, nunca possa reinar o insulto, e que nunca mais os nossos povos sejam explorados, não só pelos imperialistas, não só pelos europeus, não só pelas pessoas de pele branca, porque não confundimos a exploração ou os factores de exploração com a cor da pele dos homens; não queremos mais a exploração no nosso país, mesmo feita por negros. Lutamos para construir, nos nossos países, em Angola, em Moçambique, na Guiné, nas Ilhas de Cabo Verde, em S. Tomé, uma vida de felicidade, uma vida onde cada homem respeitará todos os homens, onde a disciplina não será imposta, onde não faltará o trabalho a ninguém, onde os salários serão justos, onde cada um terá o direito a tudo o que o homem construiu, criou para a felicidade dos homens. É para isso que lutamos. Se não o conseguirmos, teremos faltado aos nossos deveres, não atingiremos o objectivo da nossa luta”. AMILCAR CABRAL

sábado, 3 de maio de 2008

O REGRESSO AO PASSADO


Ontem, 6ª feira, o parlamento português foi invadido por um cheiro, insuportável, a fascismo.
Uma fuga provocada por uma ruptura no edifício fascizante da ideologia que suporta o CDS, estaria na base dum incidente que culminaria com a aprovação de um voto de pesar, aprovado por alguns deputados do PSD e, naturalmente, pelos salazarentos deputados do partido mais à direita, com assento parlamentar.
Cónego de Melo, assumidamente ligado ao MDPL, a extrema-direita que a seguir ao 25 de Abril, organizou atentados bombistas contra militantes de esquerda, proporcionou, a propósito da sua morte, uma réplica da Acção Nacional, bando de fascistas que habitaram, durante 40 anos o Palácio de S. Bento.
A democracia burguesa, no seu melhor. A ofensiva ideológica da extrema direita a emergir perante a fragilidade e a hipocrisia duma democracia meramente formal!
Assistiu-se, assim, a uma revivificação dum passado tenebroso a que só faltou a presença de ex-pides, nas bancadas do Parlamento.
O desrespeito pela memória das vítimas do fascismo, pela tortura, pelo assassinato foi, mais uma vez, ensaiado.
O fascismo, regressou ontem a S. Bento

4 comentários:

Mussa disse...

Regressei a blogsfera, mas nao prometo desistir da visita do seu santuario solitario.

O meu amigo Agry ensinou-me uma coisa: a consistencia.

Assim, estou eu para ver o regresso da historia detestada pelo mundo "o fascismo". Acho eu, que a historia e ciclica segundando Tito Livio, onde pretendo ver o caso fascismo como continuo, mas com novos contornos, nova forma de manifsetacao.
Nao deixo de dizer o seguinte, enquanto existir o blog do Agry o " navegador Solitario" nao deixarei de me documentar da situacao da LUSA e do mundo no geral.

Aquele abraco,
OFICINA PONTO E VIRGULA

AGRY disse...

Obrigado pela visita. Fico muito contente por o ver de regresso.
Estou num período pouco produtivo porque outros “chamamentos”
Não mo permitem.
Revisitarei o seu blog com o interesse de sempre
Abraço
Agry

Anita's disse...

Também fiquei enojada, amigo.

Um araço

AGRY disse...

anita's
Não viu, certamente, o meu comentário e o mail! Escareça-me, logo que possa, sobre o acesso ao
blog
Abraço